Estudo Andrológico

O fator masculino

O fato de ter um semenograma normal em termos de quantidade, morfologia e mobilidade não garante que o sêmen seja fértil.

Há casos em que a "carga genética" (DNA) do espermatozóide é alterada, o que causa falhas na fertilização ou embriões não viáveis. Isso é o que é conhecido como fragmentação do DNA do espermatozoide e que, dependendo da porcentagem de fragmentação do sêmen, levará a um pior prognóstico em termos de fertilidade masculina.

O estudo de fragmentação é realizado no laboratório de andrologia sobre as amostras de sêmen aplicando uma técnica específica conhecida como teste de TUNEL.

Os casos em que esta alteração é diagnosticada pode ser tratados com medicamentos antioxidantes. Em pacientes que não experimentam melhora com este tratamento, é aconselhável, para tratamentos de Fertilização In Vitro, obter o esperma diretamente do testículo através de uma punção-aspiração, uma vez que uma alta porcentagem da fragmentação ocorre durante o ejaculado.

O esperma, como o óvulo, contribui para o embrião com a metade dos 46 cromossomos que contêm toda a carga genética do indivíduo.

O processo celular no qual essa carga genética é determinada no esperma é chamado meiose. Acredita-se que as alterações na meiose já estejam presentes no momento do nascimento, portanto, não há tratamento para corrigi-las.

O diagnóstico das anomalias na meiose é feito por meio de uma biópsia testicular mínima, que geralmente é feita em regime ambulatorial e com anestesia local.

Formulário de contato







Mensagem *

Marque esta caixa se você NÃO QUER receber informações comerciais
.